Justiça Eleitoral confirma candidatura de Ogier Buchi ao governo do Estado​

por Redação JB Litoral
22/08/2018 13:02 (Última atualização: 22/08/2018)

Ogier Buchi afirma ter sofrido um boicote dentro do próprio partido. (Foto: Divulgação)

Fonte: Ric Mais

A candidatura de Ogier Buchi, do Partido Social Liberal (PSL), ao cargo de governador do Estado Paraná foi confirmada pelo Tribunal de Justiça Eleitoral na tarde desta terça-feira (21). O vice será Bruno Santarosa, também do PSL. A situação do candidato estava ameaçada por desentendimentos interno dentro do próprio partido. As informações são do portal RIC Mais Notícias.

Entenda a polêmica da candidatura de Ogier Buchi

Ogier Buchi, mesmo partido do candidato à presidência da República Jair Bolsonaro, não teve sua candidatura registrada pelo partido dentro do prazo estipulado pela Justiça Eleitoral. Segundo Ogier, ele realizou o registro pessoalmente. “O partido não fez o registro e, então, fui lá e fiz. O partido não conversou comigo e eu não conversei com o partido”, conta. Foi essa candidatura avulsa que demorou seis dias para ser aprovada pelo TSE.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Inicialmente, o PSL lançou o nome de Ogier, no entanto, poucos dias antes do prazo final para o registro, o partido voltou atrás com a justificativa de que o líder e presidenciável Jair Bolsonaro decidiu apoiar outro candidato no Paraná.

Ogier Buchi afirma ainda que tem passado por um mal estar com o partido depois que um suposto áudio do presidenciável declarado seu apoio à candidatura de Ratinho Júnior passou a circular em aplicativos de mensagens.  “Essa luta é de Davi contra Golias. O partido me convidou e depois me desconvidou, e eu não aceitei. Eu não vou aceitar o desconvite. Eu me filiei ao partido porque acredito nas propostas. Eu serei, sim, candidato”. Ele vai além e garante: “continuo pedindo voto para o Bolsonaro. O coerente nisso sou eu.”

Para completar, o candidato não participou da reunião que aconteceu nesta segunda-feira (20) no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná para a divisão do tempo de propaganda no rádio e na TV. Segundo ele, não estava sabendo da reunião e não enviou nenhum representante. “Minha candidatura foi registrada individualmente e eu não sei como que isso resultará em tempo de rádio e televisão. Eu não fui a esta reunião porque estou esperando o resultado do registro de candidatura”.

Deixe um comentário