Operação da PF investiga atos de corrupção para instalação de porto em Pontal do Paraná

por Redação JB Litoral
21/10/2020 10:35 (Última atualização: 21/10/2020)

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira, 21, a Operação “O Quinto Ato” com o objetivo de desvendar um esquema criminoso, ocorrido entre os anos de 2014 e 2015, a situação envolve o pagamento de vantagens indevidas com a intenção de intervenção junto ao Ibama. Isso possibilitaria a liberação da licença ambiental de instalação no Porto Pontal Paraná Importação e Exportação SA, no litoral do Paraná. Entre os alvos da operação está o senador e ex-presidente da República Fernando Collor.

De acordo com as informações do Setor de Comunicação Social da PF, a investigação é desdobramento da Operação Politéia, deflagrada pela corporação no ano de 2015, oportunidade em que foi identificado que bens de luxo pertencentes a um parlamentar federal teriam sido pagos com a utilização de recursos decorrentes de vantagens indevidas recebidas de empresários que tinham interesse em sua atuação política junto a órgãos federais. Também há indícios de pagamentos de vantagens indevidas em espécie.

Por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF), foram expedidos 12 mandados de busca e apreensão em endereços vinculados aos investigados, e também foi determinado o bloqueio de valores financeiros. Aproximadamente 50 policiais federais estão participando das ações nas cidades de Curitiba, Pontal do Paraná, Gaspar (SC) e São Paulo (SP). 

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

O nome da operação “O Quinto Ato” é uma referência ao rastreamento financeiro efetuado pela Polícia Federal a partir do pagamento da “5ª parcela” de um jato executivo adquirido pelo parlamentar investigado.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments