Padre Joaquim Parron reassume e fala dos novos desafios na função

SANTUÁRIO ESTADUAL DO ROCIO

por Redação JB Litoral
15/06/2017 22:11 (Última atualização: 15/06/2017)

Padro Parron

Uma década após ter encerrado suas atividades à frente da Reitoria do Santuário Estadual de Nossa Senhora do Rocio, o missionário redentorista Padre Joaquim Parron reassume a mesma função em Paranaguá, prevendo que, a partir de agora, os desafios serão bem maiores.

Entretanto, bastante entusiasmado, Parron diz que três razões especiais o fizeram retornar à cidade que abriga a padroeira de Paranaguá e do Paraná.

“Minha primeira razão para ter voltado é o fato de amar a cidade de Paranaguá e o seu povo, pois quando estive aqui pela primeira vez, vivenciei uma experiência maravilhosa. Em segundo lugar, em virtude da devoção a Nossa Senhora do Rocio, que também faz parte da minha fé em especial. E por fim, por minha vontade em tornar o Santuário uma referência de peregrinação para o Paraná e para o Brasil, já que quando estivemos aqui me lembro que o Ministério do Turismo havia colocado o local como uma das rotas turísticas do Brasil e queremos que ele volte a ter este status, destaca.

Ciente das demandas que lhe serão delegadas, o novo reitor reconhece o trabalho que terá pela frente. “Andando nas ruas, fico lisonjeado com o carinho que recebo das pessoas, isto é muito bom. Na semana passada, quando celebrei algumas missas no Rocio, pude perceber o entusiasmo de algumas pessoas em ajudar a reerguer o Santuário e torná-lo referência nas celebrações, como aos domingos e nas quintas-feiras. O grande desafio é fazer o Santuário tornar-se uma referência na experiência da fé. Com muita humildade, quero me colocar como um servo de Deus a serviço do povo parnanguara que, às vezes, é tão machucado e sofrido por tantas feridas. Depois, queremos tornar o Santuário um lugar cada vez mais forte de evangelização, mas também de formação, com cursos e treinamentos para que tenhamos cada vez mais evangelizadores”, destacou.
 

Festa do Rocio: “experiência de fé, graça e lazer”
 

No que diz respeito à Festa do Rocio e outras atividades paralelas desenvolvidas no templo religioso, Parron afirma que é necessário promover o encantamento. “O essencial é que as pessoas tenham esta magia, este encantamento. Nossa Senhora é capaz de encantar por meio da devoção. Depois disto, é necessário organizar melhor tanto as festas como também as romarias. Já participei de uma reunião e, este ano, se Deus quiser, vamos fazer uma Festa do Rocio em alto estilo. Estamos buscando apoio em todas as instâncias da mídia e garimpando pessoas especialistas em organizações de eventos. Além disto, que não apenas o povo de Paranaguá participe, mas sim de todo o Paraná. A Festa precisa ser uma experiência de fé, de graça, mas também de lazer. O mais interessante de tudo é que ela não abrange apenas os cristãos católicos, mas sim de todas as religiões. Ela é aguardada e comentada. E é para isto que estamos nos preparando”, pontua.

Apesar de estar todas as semanas em Paranaguá, Padre Joaquim Parron ficará na cidade, de forma definitiva, a partir do dia 28. No dia seguinte, ele concede entrevista coletiva à imprensa paranaense e no dia 09 haverá uma celebração de posse oficial presidida pelo Bispo Edmar Peron.

 

Deixe um comentário