Papagaio-de-cara-roxa sai da lista de animais ameaçados de extinção

Maior concentração da ave está na Ilha de Superagui,no litoral do Paraná.Degradação do habitat e tráfico de animais silvestre quase extinguiram ave

por Redação JB Litoral
17/01/2015 15:00 (Última atualização: 17/01/2015)

NULL

Maior concentração da ave está na Ilha de Superagui,no litoral do Paraná.Degradação do habitat e tráfico de animais silvestre quase extinguiram ave

A última atualização da Lista de Espécies da Fauna Brasileira Ameaçadas de Extinção, elaborada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), tirou o papagaio-de-cara-roxa, que se concentra em maior número Parque Nacional do Superagui, no litoral do Paraná, entre as espécies ameaçadas.

A avaliação é feita por categorias. No caso da ave, ela passou de “vulnerável” para “quase ameaçada” – o que representa uma melhora no ponto de vista da conservação, ainda que o risco não tenha sido totalmente eliminado.

O papagaio-de-cara-roxa vive apenas na Floresta Atlântica, no trecho que vai do litoral sul de São Paulo ao litoral norte de Santa Catarina. O litoral norte do Paraná é onde há o maior número deste animal. De acordo com a Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), que realiza um trabalho de preservação no papaguaio-de-cara-roxa desde 2008, dos quase 6.700 existentes no Brasil, cerca de cinco mil estão no Paraná.

Em 2014, a SPVS monitorou cerca de 100 ninhos ativos, a maioria artificial, e já registrou o nascimento de 107 filhotes. Ao longo de todo o projeto, foram registradas 1.200 atividades reprodutivas, 1.175 nascimentos de filhotes, sendo que 675 obtiveram êxito reprodutivo.

Segundo a coordenação do projeto, os dois motivos que trouxeram a ameaça de extinção para a espécie foram degradação do habitat natural e comércio de animais silvestres. Houve ainda um trabalho intenso de educação ambiental junto a população local, que no início do projeto, conforme a SPVS, desconheciam a ameaça de extinção sobre estas aves.
O padrão utilizado pela União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN) tem oito categorias para avaliar em qual estágio as espécies estão perante o risco de extinção: extinta, extinta na natureza, criticamente em perigo, em perigo, vulnerável, quase ameaçada, pouco preocupante e deficientes em dados. Em todo o Brasil, são 1.173 espécies na Lista de Espécies da Fauna Brasileira Ameaçadas de Extinção.

Monitoriamento de ninhos

O nascimento e o desenvolvimento de filhotes papagaios-de-cara-roxa são monitorados por câmeras. Instaladas em ninhos, as câmeras são similares as de segurança e posicionadas interna e externamente, discretamente, para não perturbar o casal de aves nem os filhotes. A ideia é registrar os cuidados dos pais e todas as fases de desenvolvimento, do ovo até a saída do ninho.
As aves são vigiadas pela equipe de conservação da SPVS durante o período de reprodução, que vai de setembro a março.

Deixe um comentário