Paranaguá vira sede do Ministério da Saúde na prestação de contas dos 200 dias de gestão

por Redação JB Litoral
26/01/2017 14:20 (Última atualização: 26/01/2017)

NULL

Ministro Ricardo Barros presta contas do seu trabalho na saúde. Foto/JB

Fato inédito, no sábado (21), Paranaguá se tornou sede do Ministério da Saúde, onde o titular da pasta, o paranaense Ricardo Barros, prestou contas dos seus 200 dias no comando da saúde do país, nas dependências do Teatro Municipal Rachel Costa. 

Paranaguá vira sede do Ministério da Saúde na prestação de contas dos 200 dias de gestão 5Ministro presidiu os trabalhos no Rachel Costa juntamente com a vice-governadora Cida Borghetti. Foto/JB

Com a presença da Vice-governadora, Cida Borghetti (PP), da Deputada Federal Christiane Yared (PR) e dos Prefeitos de Paranaguá, Antonina e Guaratuba, Marcelo Elias Roque (PV), José Paulo Vieira Azim (PSB) e Roberto Justus (DEM), respectivamente, o ministro fez uma explanação das conquistas obtidas pela pasta com ele a frente da saúde pública no país.

Usando um datashow, Barros falou das ações adotadas para otimizar os gastos públicos com eficiência econômica, que resultou num total de R$ 1,9 bilhão revertido para o atendimento da população.
 

Paranaguá vira sede do Ministério da Saúde na prestação de contas dos 200 dias de gestão 6Deputada Yared ressaltou o trabalho do Ministério da Saúde. Foto/JB

O ministro comentou a respeito da liberação de R$ 962,3 milhões para o funcionamento de mais 1.966 serviços na rede pública de saúde a partir deste ano, que garantirá o atendimento da população em unidades que estavam funcionando sem contrapartida do Governo Federal, o que sobrecarregava estados e municípios.

Nestes 200 dias à frente da pasta, os recursos de R$ 1,9 bilhão serão utilizados na ampliação da assistência no Sistema Único de Saúde (SUS).   

Estes novos recursos, fruto da sua gestão entre setembro e dezembro, beneficiam 1.057 municípios de todas as unidades da federação. Entre os serviços hospitalares e ambulatoriais contemplados estão 53 para atendimento de pacientes com câncer, 71 voltados a assistência de gestantes e bebês, 421 para a rede de urgência e emergência, incluindo UPAs e SAMU, 94 para assistência em UTI e 39 para cuidados de pessoas com deficiência.

Estas reduções vieram, entre outras ações, da negociação na compra de 39 medicamentos, cujo valor ficou 13,7% abaixo do previsto sem reduzir o quantitativo, revisão de contratos de informática e reforma administrativa.

O ministro destacou ainda que a negociação para compra de três bilhões de horas de proteção contra o mosquito Aedes aegypti gerou uma eficiência de R$128 milhões para os cofres públicos.
 

Paranaguá vira sede do Ministério da Saúde na prestação de contas dos 200 dias de gestão 7Prefeito Marcelo Roque destacou importância da parceria com Estado e União. Foto/JB

Em seu pronunciamento, Marcelo Roque criticou o estado da rede de atendimento à saúde do município que herdou da gestão anterior e destacou o esforço da gestão em buscar parcerias com os governos, estadual e federal, para melhorar a situação.

Da mesma forma, o Prefeito Zé Paulo ressaltou a necessidade de uma maior participação do Estado e União nas ações da saúde em favor dos antoninenses. Roberto Justus, por sua vez, agradeceu o sinal verde que vem recebendo do Governador Beto Richa e do ministro nas ações que pretende fazer em favor da população.  

 

Deixe um comentário