Pasa alcança recorde de carregamento de soja

por Luiza Rampelotti
30/04/2020 17:59 (Última atualização: 30/04/2020)

Navio de soja Yue Dian 83. Foto: Pasa

Em novembro do ano passado, a empresa pública Portos do Paraná iniciou a dragagem de manutenção continuada dos berços do cais comercial do Porto de Paranaguá. Com a obra, a profundidade mantida em todos os berços deve ser de 13,5 metros, possibilitando que navios maiores sejam operados pelos terminais portuários.

Para a Pasa – Paraná Operações Portuárias S/A, que atua com a exportação de graneis sólidos, como açúcar, soja, milho, trigo e farelo, a atuação da empresa pública, por meio da manutenção da dragagem, bem como reforço da infraestrutura geral, entre outros, dá suporte para a melhor atuação de todo o setor portuário privado. Isso faz com que novos recordes de exportação sejam alcançados, atendendo aos clientes e acionistas com maior qualidade, segurança e eficiência.

Em dezembro de 2019, o berço 204, especializado no embarque de granéis sólidos de Exportação, operado pela Pasa, recebeu a dragagem de manutenção continuada, ou seja, a remoção de material do fundo do mar, garantindo a profundidade adequada à segurança da navegação de navios de grande porte.

Para o Diretor da empresa, Pérsio Souza de Assis, a obra possibilita, ainda, que a companhia auxilie na resolução dos problemas de saturação dos principais portos brasileiros, tornando o Porto de Paranaguá mais competitivo, uma vez que os berços passam a oferecer maior segurança para que os navios atraquem e os operadores possam movimentar as cargas.

71 mil toneladas de soja

Devido às obras, a Pasa conseguiu bater o recorde de carregamento de soja em um único navio. No dia 24 deste mês, o berço 204 recebeu o navio Yue Dian 83, que embarcou 71 mil toneladas do grão, com destino à China. A carga estava condicionada nos armazéns próprios da empresa, o que proporciona vantagem competitiva, agilidade no embarque e menos impacto urbano em Paranaguá. O último recorde alcançado havia sido em junho de 2019, ao carregar 58.175 toneladas de açúcar no navio Caravos Glory, das Ilhas Marshall.

Com a dragagem, o berço passou para a profundidade homologada de 12,5 metros, proporcionando que a empresa possa receber navios maiores, tipo Panamax. Isso demonstra que a estrutura está preparada para operações de grande porte, e não precisamos tomar nenhuma iniciativa excepcional para viabilizar esta operação, pois nossa capacidade estática de 239 mil toneladas permitiu comportar todo este volume de carga”, comemora Pérsio.