Pescadores estariam abandonando animais marinhos no manguezal de Antonina

por Redação JB Litoral
30/03/2018 00:45 (Última atualização: 30/03/2018)

Momento em que morador de Antonina tenta resgatar uma tartaruga abandonada por pescadores no mangue. (FOTO: Colaboração/Jorge Prado)

No semana passada (18), moradores de Antonina denunciaram um crime ambiental realizado por alguns pescadores do litoral paranaense. Segundo os moradores, eles estariam trazendo tartarugas em suas embarcações e abandonando-as em área de mangue, longe do mar, o seu habitat natural. O fato está causando não só o sofrimento dos animais, como também a morte deles. Os cidadãos tentaram, inclusive, resgatar duas tartarugas, que quase não se mexiam, levando-as de volta ao mar, porém uma delas acabou morrendo antes mesmo de ser liberada devido aos ferimentos.

De acordo com os moradores, é frequente o corte de redes para soltar tartarugas, assim como botos, arraias e peixes pequenos. O responsável pela soltura das tartarugas no dia 18 foi José Lourenço Pereira, que destaca que os pescadores que estiverem cometendo este crime ambiental devem ser punidos, denunciando que já viu, inclusive, alguns deles matando animais na área de mangue.  De acordo com a comunidade, estaria faltando uma fiscalização ambiental intensificada, pois a região está sendo alvo contínuo de pesca predatória, bem como de coleta irregular de palmito. Segundo eles, crimes ambientais são comuns no contexto antoninense.

Segundo a Lei Federal 9605/1998, promover distúrbio no ambiente ou na rotina de animais selvagens, como é o caso das tartarugas em questão em Antonina, é algo considerado crime ambiental. A lei prevê penalidades e sanções, podendo o responsável ser detido de um a três anos, bem como multado.

No litoral do Paraná, uma das principais forças policiais contra crimes ambientais é a 1ª Companhia da Polícia Militar Ambiental – Força Verde, que atua continuamente na região, sendo que somente neste mês realizou prisão de pessoas por extração ilegal de palmito, bem como captura de animais silvestres. Apesar disto, segundo a população, o número de policiais na 1ª Companhia seria ineficiente para atuação na grande área de mar e Mata Atlântica presentes na região. Informações sobre possíveis crimes, como o caso do abandono de tartarugas e outros espécimes em locais indevidos, podem ser comunicados à PMPR pelo telefone (41) 3420-9400 ou pelo email: [email protected] .

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

 

 

Deixe um comentário