Polícia Ambiental fecha fábrica clandestina de palmito em Morretes

por Redação JB Litoral
06/09/2013 00:00 (Última atualização: 06/09/2013)

NULL

Uma pequena fábrica clandestina de palmito foi fechada por policiais militares da 1.ª Companhia do Batalhão Ambiental, na tarde da última terça-feira (03), em Morretes. A fabriqueta funcionava em um barraco de madeira, onde foi apreendida uma espingarda calibre 32 municiada, além de grande quantidade de palmito já descascado e vários vidros para conservas e objetos usados para a preparação e armazenamento ilegais do alimento.

A ação ocorreu por volta das 16 horas, durante patrulhamento pela mata, na região conhecida como Rodeio. Ao chegaram na fabriqueta os policiais flagraram um homem, o qual conseguiu fugir pela mata, mas acabou sendo identificado como Lourival Cesário da Silva, morador na localidade.

Durante as diligências, os policiais encontraram a espingarda, dentro da fábrica, além dos objetos usados para o preparo e envase do palmito.  Os policiais ainda fizeram buscas para localizar o suspeito, porém, devido o difícil acesso, ele não foi encontrado, mas deverá ser intimado para ser ouvido na Delegacia de Morretes, que vai dar continuidade às investigações.

FISCALIZAÇÃO

O comandante da Polícia Ambiental no Litoral, tenente João Waldemar Serpa Burger, informa que a corporação, juntamente com outros órgãos competentes, como Vigilância Sanitária, estará intensificando a fiscalização do comércio de palmito na região. “O objetivo é identificar a procedência desse produto e a devida responsabilização criminal daqueles que utilizam esse alimento adquirido de forma clandestina”, ressalta o oficial.

PALMITO

A Polícia Ambiental frisa que é comum encontrar palmito nos cardápios de vários comércios no Litoral, como pizzarias, lanchonetes e restaurantes, porém, grande parte desse produto tem procedência clandestina, por ser mais barato do que aqueles que tem um rigoroso controle de qualidade e, devido as condições que são manuseados, podem causar doenças graves, entre a mais conhecidas a “salmonela”, a qual pode levar ao óbito.

DENÚNCIAS

A 1ª Companhia do Batalhão de Polícia Ambiental disponibiliza à comunidade seus telefones para receber denúncias e informações a respeito dessa prática criminosa e de outros delitos, como caça de animais silvestres, pesca proibida e crimes contra a flora: Paranaguá- 34209400; Morretes – (41) 34327035 e 34622803; Guaratuba- (41) 34436858.

Deixe um comentário