Polícia Ambiental prende suspeitos em operação contra caça ilegal

por Redação JB Litoral
26/09/2018 00:00 (Última atualização: 05/01/2019)

A Polícia Ambiental prendeu três suspeitos, durante uma operação de combate à caça ilegal no município de Guaraqueçaba, nesta quarta-feira, 26. Na ação foram apreendidas armas de fogo, material para a confecção de munição e resgatados pássaros mantidos em cativeiro sem autorização da autoridade competente.

De acordo com o relatório policial, a ação teve início após denúncias repassadas para a 1.ª Companhia do Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde (BPAmb-FV), informando a ação de um grupo de cinco homens, os quais estariam efetuando a caça de animais silvestres na comunidade de Medeiros, com o uso de armas de fogo.

Os militares, então, passaram a investigar as informações, com o objetivo de verificar indícios e evidências suficientes a cerca dos fatos e dos envolvidos e, durante as diligências, tomaram conhecimento que, na semana passada, os acusados teriam caçado um jacaré e arrastado o animal morto pela comunidade.

Em seguida foi feita uma solicitação de mandados de busca e apreensão nos endereços dos suspeitos e que foram expedidos pela Vara Criminal da Comarca de Antonina. Nesta manhã, os policiais militares deram início à operação e prenderam três dos acusados, em flagrante. Outro foi apenas ouvido e um quinto não foi localizado, mas foi devidamente identificado e na casa dele apreendida uma espingarda e munição.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Ao todo, quatro espingardas, calibres 32 e 36, foram apreendidas, além de munições intactas e deflagradas e uma carabina calibre 4.55 mm. Também foi apreendido chumbo, espoletas, redes usadas para caçar tatu, pios para atrair aves silvestres, estilingue, alçapão e fisgas tridentes utilizadas para caça e pesca predatória.

Durante a operação, ainda houve o resgate de 15 pássaros da fauna silvestre em cativeiro, sem a devida autorização ambiental, e foram apreendidas 14 gaiolas. Os três presos acabaram encaminhados à 7.ª Delegacia Regional de Polícia (DRP) de Antonina, juntamente com tudo que foi apreendido, para que fossem tomadas as devidas providências.

Deixe um comentário