Polícia Civil prende suspeitos de adulterar carga de soja e lesar empresa em US$ 1 milhão

por Redação JB Litoral
10/09/2020 15:28 (Última atualização: 10/09/2020)

Foto: Divulgação/PCPR

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) prendeu em flagrante nove pessoas, durante operação contra desvio e adulteração de carga de farelo soja, em Ibaiti, região Norte do Estado, e em Paranaguá, nos dias 8 e 9 de setembro. O grupo é investigado por adulterar a carga original com areia e casca de soja moída antes que ela chegasse ao destino final.

De acordo com as informações divulgadas pela PCPR, Quatro prisões foram realizadas em Ibaiti, no barracão de uma empresa, onde a adulteração estaria sendo feita. Os suspeitos eram funcionários do local. As outras cinco prisões foram feitas em Paranaguá, três eram motoristas e deveriam fazer a entrega diretamente no Porto de Paranaguá, mas acabavam desviando a carga. Os outros dois trabalhavam no Codapar e tinham a função de fiscalizar o material antes do embarque.

Os nove homens foram autuados por estelionato, associação criminosa e adulteração de substância alimentícia.

ADULTERAÇÃO

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

O farelo de soja original saía de fábrica com 46% de proteína e 54% de outros componentes, como a fibra. Após a adulteração, a carga chegava nos terminais de embarque com 17% de proteína e 29% de areia, além da casca de soja moída e misturada, que era utilizada para atingir peso. Apenas uma das empresas, vítimas dos criminosos, avaliou o prejuízo de cerca de US$ 1 milhão.

A investigação continua, inclusive na França, onde uma das empresas compradoras do farelo de soja foi vítima da adulteração. A PCPR conta com análises periciais para identificar todas as adulterações praticadas pela organização criminosa.

Mais informações na reportagem completa da próxima edição impressa do JB Litoral, a partir de segunda-feira (14) nas bancas.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments