Polícia Federal realiza operações coibindo o tráfico em Paranaguá

por Redação JB Litoral
11/08/2020 20:11 (Última atualização: 11/08/2020)

“Existe sempre uma linha investigava decorrente da outra. Se não fosse a ação da semana passada, não teríamos chegado até aqui”

Por Andresa Costa

A Polícia Federal (PF) deflagrou em Paranaguá nesta terça-feira (11) a Operação “Meus Inimigos” com a intenção de desarticular elementos de associação ao tráfico de drogas. Os investigados são suspeitos de terem participado da morte do Guarda Civil Municipal (GCM) Jeferson Barcelos Oliveira.

Ao todo, oito mandados judiciais foram expedidos pela 7ª Vara Federal de Curitiba. Os policiais federais cumpriram quatro mandados de prisão preventiva, um homem foi preso e outros três não foram localizados e agora são considerados foragidos da Justiça.

De acordo com o delegado que comandou a operação Eduardo Gomes “já existe um alerta em todas as esferas policias do país para a prisão dos indivíduos”. Quatro mandados de busca e apreensão, resultaram na prisão de um suspeito e na apreensão de aparelhos telefônicos, durante as abordagens.

As investigações tiveram início após um flagrante com 12 presos que ocorreu em abril. Entre eles, o GCM Barcellos, de 44 anos, morador no bairro Porto dos Padres. Ele foi morto logo depois, por suposta subtração de entorpecentes (drogas) que foi atribuída a ele.

O nome da operação é uma referência que os investigados fizeram à PF, como sendo a “inimiga” da organização criminosa.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

OUTRAS OPERAÇÕES

A ação realizada na manhã desta terça-feira, foi apenas uma de muitas que a PF tem operado na cidade. Na semana passada, outra investigação resultou na prisão de uma pessoa e encaminhada para a 1ª Subdivisão Policial.

Outro suspeito fugiu antes do cumprimento do mandado, porém a busca por ele continua. Os mandados foram expedidos pela 23ª Vara Federal de Curitiba, após instauração de inquérito da PF do município que identificou os suspeitos.

Em entrevista ao JB Litoral, o delegado da Polícia Federal Eduardo Gomes falou que cada operação não acontece de forma isolada, todas tem uma sequência. “Existe sempre uma linha investigava decorrente da outra. Se não fosse a ação da semana passada, não teríamos chegado até aqui”, declarou.

CONTRA O CRIME ORGANIZADO

De acordo com o delegado, a atuação de organizações criminosas ligadas ao tráfico de drogas em Paranaguá. Conforme as informações de Gomes, “a PF está atuante nesta questão e trabalhando em conjunto com a polícia civil e militar, no levantamento de dados e outras informações relevantes até o processo de prisão dos acusados”.

Contudo, o comandante das operações salientou a importância da população no procedimento das denúncias que levam a atuações mais eficazes. “A comunidade tem um papel importantíssimo em todo este processo, em todas as denúncias o anonimato é preservado e a população pode realizar a denúncia por qualquer forma, e-mail, celular, whatsapp. O que queremos é chegar até onde atua o crime organizado”, pontuou.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments