Prefeito diz que greve em Antonina se transformou em questão política

por Redação JB Litoral
15/03/2016 16:00 (Última atualização: 15/03/2016)

NULL

Um ato público realizado pelos profissionais de educação diante da prefeitura de Antonina nesta terça-feira (15) comemorou o 1° mês de greve na rede municipal de ensino e até um bolo foi oferecido à população.

Desta vez, o prefeito João Ubirajara Lopes, (PSC), o João Domero, falou publicamente com as manifestantes e defendeu que jamais disse que não cumpriria o Termo de Compromisso assinado com a categoria e que a situação se transformou em política.

Usando o microfone do caminhão dos manifestantes, o João Domero destacou o pagamento do Piso Nacional do Magistério pela prefeitura e admitiu não saber como irá pagar.

“O salário de vocês estão em dia. Dei o Piso Nacional para vocês. Não podemos prometer o que não podemos cumprir. Não vou admitir você vir falar que nunca deu pela educação. Não vou admitir porque isso, vocês estão usando de uma forma política. E para que todo munda saiba, não existe nenhuma briga política comigo ou com os professores. Existe sim uma forma de tratar as situações do município com cautela. Tenho conversando com vocês e em momento algum falei que não vou fazer A ou B. Simplesmente não vou fazer um negócio que não vou poder cumprir. Assinei um Termo de Compromisso com vocês que vence neste fim do mês, só que em momento algum disse que não ia fazer. Dei o Piso Nacional e não sei como vamos pagar. Agora vocês concordem ou não isso se transformou em política. Não vou admitir isso. Vocês estão prejudicando os alunos e não a mim”, disse o prefeito que deixou a manifestação sob vaias.

Entenda o caso

Sem o cumprimento do Termo de Compromisso por parte do prefeito João Ubirajara Lopes (PSC), o João Domero, firmado em 2014, os profissionais da educação da rede municipal iniciou greve dia 15 de fevereiro com uma programação que contou com uma grande passeata das professoras realizada no dia 19, que ganhou as ruas de Antonina com o bordão “prefeito mentiu, a greve saiu”.

Vestidas com camisetas brancas que traziam o bordão do movimento, a manifestação foi comandada pela APP/Sindicato, através da Secretaria Geral, Vanda Bandeira Santana, do professor Hermes Goldenstein Junior e do presidente do Núcleo Sindical da APP/Litoral, Claiton Rocha e contou com um grande número de manifestantes, que discursaram durante o trajeto pelas ruas da cidade. A concentração foi na Praça Coronel Macedo e teve a presença apenas do vereador Ademir Rodrigues (PRB), o Barroca, que não acompanhou a passeata.

De acordo com a professora Vanda Santana, no dia seguinte à deflagração da greve, o prefeito enviou à Câmara o projeto de lei que atende a determinação nacional para o pagamento do Piso Salarial Nacional do Magistério que foi votado e aprovado pelos vereadores.

“Ele está pagando o Piso Nacional, que é uma obrigação ao plano nacional, mas faltam atender ainda as principais reivindicações, como hora-atividade, reformulação do plano de carreira, auxílio-transporte e o atendimento às escolas que estão bem precárias”, disse a Secretária Geral durante a manifestação.

Deixe um comentário