Prefeitura irá adquirir 5000 testes rápidos da dengue com recursos estaduais

Testes serão adquiridos com recursos dentro dos R$ 3,9 milhões enviados pela Sesa. Apesar dos testes, diagnóstico do médico é soberano, bem como tratamento da dengue é feito pela Semsa já na simples suspeita da doença.

por Redação JB Litoral
20/01/2016 11:00 (Última atualização: 20/01/2016)

Combate a pandemia do coronavírus, não se pode desviar o foco de outras doenças graves, alerta o Diretor

A Prefeitura de Paranaguá irá adquirir até o início de fevereiro 5000 testes rápidos para diagnóstico da dengue em pacientes do município. A compra será feita com recursos dentro dos R$ 3,9 milhões repassados ao município pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) na última semana. Além disso, a Sesa enviou na última sexta-feira (15), 400 testes rápidos para o atendimento de emergência. Válido ressaltar que os testes são feitos nos pacientes de risco, como, por exemplo, idosos, crianças e portadores de doenças crônicas.

“A compra destes 5000 testes rápidos vem a colaborar com a estrutura municipal de combate à dengue nos pacientes de risco. Vale ressaltar que, independente de qualquer coisa, o paciente já recebe tratamento na chegada com suspeita de dengue nas unidades de saúde ou no Pronto Atendimento 24 horas da Baduca. Além disso, a avaliação do médico é soberana, independente da região, ele já consegue identificar os pacientes que estão com dengue e fazer o encaminhamento, medicação e hidratação”, explica o prefeito Edison Kersten.

A secretária municipal de Saúde, Sandra Luiza Machado, afirma que a vinda dos testes rápidos será suficiente para demanda de atendimento dos pacientes de risco. Os que não fazem parte deste quadro passarão por exames de sangue para diagnóstico da dengue por determinação do Ministério da Saúde, algo que tem resultado divulgado em 20 dias. A secretária reafirma a importância do diagnóstico clínico feito pelo próprio médico, que é soberano, ressaltando que a simples suspeita da dengue já faz com que o paciente seja atendido nas unidades do município, independente do diagnóstico.

O paciente que chega às unidades de saúde passa por uma avaliação médica geral, recebendo tratamento efetivo, com medicação, hidratação e orientação clínica. Ele deve retornar às unidades diariamente, ou então, no máximo a cada dois dias, passando por um tratamento contra a dengue que dura cerca de 10 dias e não pode ser abandonado. A auto-medicação é proibida por causar complicações no quadro da doença.

Deixe um comentário