Prefeitura realiza avaliação psicológica com guardas civis municipais para  porte de arma de 100% do efetivo

Município contratou empresa especializada em Psicologia para realização dos testes com todo o efetivo de mais de 300 guardas no último final de semana.

por Redação JB Litoral
04/08/2016 23:58 (Última atualização: 04/08/2016)

NULL

Nos últimos dias 30 e 31 de junho, todo o efetivo total de mais de 300 guardas civis municipais (GCM´s) da Guarda Civil Municipal (GCM) passou por exames de aptidão psicológica para o porte de arma de fogo, bem como de armamamento não-letal. A medida foi determinada pela Prefeitura de Paranaguá e atendida pela Secretaria Municipal de Segurança (Semseg), através do comando da Guarda Civil Municipal e Divisão de Ensino e Capacitação da Semseg.

O objetivo da avaliação é obedecer a Lei Federal 10.826/2003 e o Decreto  Federal 5123/2004, visando a capacitação e aptidão psicológica para manuseio de armamento por parte dos agentes da GCM. As provas foram aplicadas na Escola Municipal Nascimento Júnior.

De acordo com o prefeito Edison Kersten, um contrato entre o município e uma empresa especializada na área de psicologia, fez com que a bateria de avaliações dos guardas civis municipais fossem feitas no sábado (30) e domingo (31).
 

“A medida demonstra um respeito com a Guarda Civil Municipal (GCM) bem como com a população parnanguara, visto que devemos prezar tanto pela saúde do efetivo da GCM como pelo bem-estar social. Todo o efetivo com mais de 300 guardas municipais foi submetido aos testes de aptidão psicológica para manuseio de arma de fogo”, completa o prefeito.

 

Além da Semseg, estiveram envolvidos na organização das avaliações o Comandante da Guarda Civil Municipal, GCM Ivã Luiz Bernardi), a superintendente municipal de Segurança Pública, GCM Neusi, o chefe de Divisão de Ensino e Capacitação, GCM Viana, o chefe de Divisão de Armamento e Munições, GCM Joel e o representante da Corregedoria da Guarda Civil Municipal, GCM Ricardi, designado para a fiscalização da execução do contrato.

De acordo com a comissão da GCM, o objetivo é respeitar a legislação federal, no que tange aos requisitos para obtenção e manutenção do porte de arma de fogo aos guardas civis municipais. Segundo a Semseg, o foco é manter o porte de arma institucional atualizado a uma parcela de guardas que já possuem, bem como capacitar psicologicamente todo o efetivo da GCM para habilitação para manuseio do armamento em questão, ou de armas não-letais.

Ainda de acordo com o comitê responsável pela avaliação, o exame de aptidão psicológica atestada em laudo concluso para porte de arma de fogo é um requisito obrigatória de dois dem dois anos.

Deixe um comentário