Procura por máscara faz costureira fabricar item personalizado

por Maisy Pires
01/04/2020 10:58 (Última atualização: 01/04/2020)

"A procura pelas máscaras foi melhor que o esperado", contou Elisângela

Desde a chegada da pandemia da Covid-19 no Brasil, o uso das máscaras é uma das medidas de precaução adotadas pelo Governo Federal, até então, apenas para os profissionais de saúde e pessoas com coronavírus ou com sintomas.

Porém, nesta semana, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, determinou o uso por pessoas que não trabalham diretamente na área da saúde ou que não têm os sintomas da Covid-19. Segundo Mandetta, sua equipe prepara um protocolo que vai indicar diretrizes para produção das máscaras com TNT e orientação para o uso do equipamento.

Devido sua falta, o Ministério da Saúde autoriza o uso de máscaras caseiras, para que as cirúrgicas sejam usadas apenas por profissionais de saúde.

Máscaras personalizadas

A costureira Elisângela Santana Fernandes Alves, moradora na Vila Rute, em Paranaguá, começou a fabricar as máscaras caseiras após seu irmão comentar sobre a falta do item na Espanha.

“Eu trabalho há mais de 10 anos fabricando cortinas sob medida. A ideia de fabricar as máscaras surgiu após uma conversa com o meu irmão. Ele mora na Espanha e falou que lá estava em falta e que era para eu começar a fazer que iria vender muito. Então, depois dessa conversa, eu comecei a fazer com os tecidos que eu já tinha e comprei mais alguns estampados”.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Segundo Elisângela, a procura foi maior que o esperado. “Comecei a fazer e resolvi enviar para os amigos mais próximos, desde então não estou vencendo fazer. Muitas pessoas que convivem com idosos e tem familiares do grupo de risco estão procurando. Vou confessar que não tenho muito lucro, pois dá bastante trabalho e eu vendo por apenas R$ 8,00, mas coloquei no meu coração que vale a pena porque eu sei que todos nós precisamos nos proteger neste momento”.

A costureira comentou que toda a família está ajudando. “Estou recebendo encomendas grandes de transportadoras e empresas privadas, então coloquei toda a família para ajudar. Uns cortam, outros embalam, minha irmã anota o pedido, sozinha eu não iria conseguir fazer tudo”.

Elisângela salientou ainda que a máscara é dupla fase, pois protege mais, e é lavável. “Eu recomendo que após 4 horas de uso é necessário lavar com sabão neutro, secar e passar para a esterilização”.

O trabalho da costureira pode ser acompanhado no facebook ou, quem tiver interesse, pode entrar em contato através do telefone 99844-2278.