Reunião em Brasília discute turismo náutico no Paraná e no Brasil

GTT-Náutico é um grupo criado em 2009 para incentivar setor turístico. Paraná recebeu várias embarcações nos últimos anos, intenção é de que isso aumente.

por Redação JB Litoral
26/02/2014 00:00 (Última atualização: 26/02/2014)

NULL

No início de fevereiro, na 22ª Reunião Nacional do Grupo de Trabalho de Turismo Náutico (GTT-Náutico), no Ministério do Turismo, em Brasília, o Paraná marcou presença com a diretora do Paraná Turismo, Juliana Vosnika. A presença paranaense no evento reforça a intenção do estado em se aprofundar no turismo náutico, através dos portos de Paranaguá e Antonina. No último ano, os navios Aida Cara (Alemanha) e Seabourn Quest (EUA), desembarcaram com centenas de turistas no terminal parnanguara, a intenção do encontro é que isso seja maximizado nos próximos anos em todo o Brasil.

No encontro realizado em Brasília vários órgãos e entidades da iniciativa privada, do setor público e do terceiro setor ligados ao turismo náutico, marcaram presença, podendo também ouvir as demandas paranaenses para o setor. O evento discutiu assuntos como a avaliação de candidaturas ao Processo Seletivo de Novas Entidades que pretendem compor o GTT-Náutico, assim como propostas para produção de um guia de boas práticas ambientais na construção de marinas e pontos de apoio às embarcações, assim como confecção de uma agenda comercial que relaciona eventos internacionais e atualize várias resoluções normativas federais, com intuito de acelerar a evolução do turismo náutico no país.

Vosnika afirma que o GTT-Náutico está desenvolvido no Paraná desde 2011, com intenção de acelerar o turismo náutico estadual: “O trabalho do GT Náutico do Paraná visa apoiar o turismo marítimo, auxiliar, qualificar e sensibilizar as comunidades locais sobre a importância do receptivo e criar projetos que atraiam turistas de outras regiões, estabelecendo, assim, uma dinâmica de desenvolvimento da costa paranaense”, ressalta. 

 

Apoio da Paraná Turismo

 

Sobre o evento, a diretora do Paraná Turismo afirma que é importante a construção de um grupo de trabalho que faça com que haja uma gestão mais eficiente, com políticas públicas voltadas ao turismo náutico, beneficiando não somente Paranaguá e Antonina, cidades portuárias, mas também todo o Paraná. Juliana afirma que a reunião feita em Brasília, através do Ministério do Turismo do Governo Federal, é uma forma de trocar experiências e criar ações para desenvolvimento do setor: “Também vale ressaltar a união de esforços para fortalecimento deste órgão que vai cuidar da legislação do setor com análises e sugestões”, completou.

 “Conseguimos consolidar o litoral do Paraná como destino turístico para navios de cruzeiros. Durante o ano de 2014, estão previstas mais oito paradas de diferentes navios no Litoral do Paraná. Com aumento da demanda percebe-se a necessidade de ações imediatas e efetivas, com soluções para questões burocráticas encontradas nas operações”, afirma Vosnika. Segundo a diretora, o porto de Paranaguá nos últimos anos teve um aumento significativo de navios de passageiros, com destaque para o Aida Cara e Seabourn Quest em 2013, embarcações que trouxeram milhares de turistas à Paranaguá e ao litoral.

 

O GTT- Náutico, grupo ao qual o Paraná Turismo faz parte, tem a intenção de debater questões relativas ao turismo náutico, subsidiando políticas públicas e ações para desenvolvimento da área. Desde 2009 o grupo vem se reunindo, até o momento 21 reuniões foram feitas, fazendo com que o setor turístico evolua, com parceria com órgãos federais (Receita Federal, ANTAQ, entre outros).

O GTT entende que o Brasil apresenta um enorme potencial para o turismo náutico, já que apresenta um dos maiores litorais do mundo, com 8.500 km de linha de costa. “A orla brasileira é prioridade do Plano Nacional de Turismo. A expectativa é que possamos desburocratizar o marco regulatório e criar um ambiente de investimentos nessa área”, afirma o secretário nacional de Políticas do Turismo, Vinícius Lummertz.

 

*Com informações do WebParaná e AEN

Crédito foto: APPA

Deixe um comentário