Rosane Ferreira ressalta parceria com Requião e uma gestão em prol do social

Deputada federal pelo PV, Rosane apontou necessidade de volta de programas sociais, assim como desenvolvimento econômico com responsabilidade ambiental.

por Redação JB Litoral
09/09/2014 22:35 (Última atualização: 09/09/2014)

NULL

Dando sequência à série de entrevistas com os candidatos a vice-governador, nesta semana, o JBtraz a vice-governadora, deputada federal Rosane Ferreira (PV), pertencente à chapa majoritária do candidato a governador, senador Roberto Requião (PMDB). Enfermeira formada pela PUC-PR, Rosane começou sua carreira política em 1999, se filiando ao PV e disputando eleição para vereadora em Araucária, onde obteve votação expressiva já em sua primeira disputa eleitoral. Foi eleita deputada estadual em 2006 e deputada federal em 2010, inclusive sendo eleita como melhor legisladora do Paraná em 2013, segundo o site Votenaweb. Casada e mãe de dois filhos, a candidata à vice-governadora pretende, ao lado de Requião, promover o desenvolvimento econômico e social aliado ao cuidado ambiental no Paraná e no litoral paranaense, assim como focar a melhoria da saúde pública estadual. Confira abaixo a entrevista exclusiva com Rosane Ferreira. 

JB – Como ocorreu a sua escolha para vice de Requião?
Rosane Ferreira –Desde o final do ano passado, nós do Partido Verde, do qual sou presidente estadual, estávamos construindo uma candidatura própria para disputar o Governo do Estado. Coloquei meu nome à disposição do partido já que não seria candidata à reeleição como Deputada Federal. Mas diante do convite para caminhar ao lado do Requião, de quem o PV sempre esteve muito próximo em termos de ideias e na defesa das pessoas que mais precisam de um Estado forte, aceitei o desafio. E aqui estou.

JB – O que motivou aceitar a composição na majoritária?
Rosane Ferreira -Aceitei o convite para ser a Vice-Governadora do Requião pela soma de ideais e visões de mundo que temos em comum, pela experiência e austeridade na administração do patrimônio público e pelo caráter democrático de suas políticas – Tarifa Social da Água, Luz Fraterna, Trator Solidário, isenção de impostos para as microempresas; entre tantos outros programas pensados sempre em benefício das pessoas que mais precisam de um governo forte e eficiente. Vamos retomar esse viés social do Governo do Paraná. O Governo deve cuidar das pessoas. O Requião é necessário neste momento em que estamos à deriva, sem comando, sem norte. Por isso estou com ele, para fazer deste que será o 4º mandato do Requião o melhor de todos.

JB – Quais propostas das diretrizes do PV que pretende inserir e defender no programa de governo?
Rosane Ferreira – O Paraná é um Estado campeão na produção de grãos, mesmo com os problemas de infraestrutura, com políticas claras e de apoio efetivo aos agricultores, imaginem o quanto poderíamos diversificar a produção. E mais: podemos ainda produzir preservando, e preservar produzindo. Vamos promover o desenvolvimento econômico e social aliado ao cuidado ambiental. Um Governo deve ser feito para resolver os problemas de todas as áreas. Na Segurança Pública, por exemplo, figuramos com um dos piores índices na ocorrência de violência contra mulheres e morte violenta de jovens relacionadas ao tráfico e consumo de drogas. Na Saúde, embora Requião tenha construído um bom número de hospitais regionais e clínicas da mulher e da criança, infelizmente essa rede está subutilizada por falta de profissionais e investimentos. Na Educação, nossas escolas estão sucateadas, professores desmotivados e a violência cada vez mais perto da nossa juventude. Tudo isso terá que ser revisto com urgência. O que vamos fazer. O Paraná é feito de homens e mulheres de fé, trabalhadores, empreendedores e, sobretudo, merecedores de um Governo forte, presente, eficiente, podendo ser exemplo para o mundo em sustentabilidade. Esses são os valores do PV que vamos levar para o Governo do Paraná.

JB – Qual o papel de vice na chapa majoritária?
Rosane Ferreira -De acordo com a Constituição Estadual, compete ao Vice-Governador (a) todas as funções do Governador quando do seu impedimento e/ou auxiliar o Governador , sempre que por ele convocado para missões especiais. Cumprirei este papel. Como missão especial pretendo dar atenção especial às pequenas cidades, especificamente as 203 com menos de 10 mil habitantes, onde o apoio e a participação do Estado são fundamentais para que se habilitem a ter acesso, por exemplo, aos recursos federais. Outro desafio será executar políticas públicas para diminuir a distância – em termos de IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) – entre cidades polos e suas regiões metropolitanas. Por exemplo, não é possível mais aceitar com naturalidade que Curitiba, o primeiro lugar em IDH no estado, tenha ao seu lado Colombo, ocupando o 59º lugar. Ou Maringá, na região norte do Estado, segundo IDH, e Sarandi ao lado,lugar com o seu constrangedor 256º lugar entre 399 cidades do Paraná. Quando o olhar se volta para o nosso litoral, vemos Paranaguá em 32º lugar, e Guaraqueçaba em 396º. São essas desigualdades que temos que enfrentar com políticas voltadas para levar desenvolvimento para as cidades que mais precisam de um Estado forte.

JB – Quais ações feitas como deputada estadual e federal para Paranaguá e do litoral?
Rosane Ferreira –Tanto na Assembleia Legislativa como na Câmara Federal, apresentei e votei propostas para melhorar a vida das pessoas, de todas as pessoas, e isso inclui os moradores do nosso litoral. Fui autora da Lei Estadual nº 15.876/08 que instituiu a meia entrada para professores da rede de ensino público e particular do Paraná, ajudei a aprovar a regulamentação da Emenda 29, que somente no Paraná representou R$ 400 milhões a mais em recursos para a Saúde. Aprovamos a Lei 12.732/12 que estabelece um prazo de no máximo 60 dias para que pacientes com câncer iniciem o tratamento pelo SUS; a Lei 12.653/12, que criminaliza a exigência do cheque-caução nos atendimentos nas emergências hospitalares; a Lei 12.845/13, que determina o atendimento imediato e multidisciplinar das vítimas de violência sexual, inclusive quanto aos aspectos psicológicos, a Lei 12.802/13 garante a realização de cirurgia plástica reparadora da mama pós mastectomia decorrentes de tratamento de câncer. Também aprovamos leis que tornaram gratuita a emissão da carteira de identidade e unificarão a eleição para conselheiros tutelares no país.E quando tratamos de recursos para o nosso litoral, aprovei emenda individual ao Orçamento da União que destina à prefeitura de Pontal do Paraná R$ 350 mil para a construção de uma passarela de pedestres e infraestrutura de acesso em Pontal do Sul. O valor já foi empenhado e aguarda o projeto técnico para o início da obra. Em relação às emendas da bancada de deputados, apoiei as propostas que promoviam o desenvolvimento das cidades do litoral. Em 2011, aprovamos R$ 9 milhões para infraestrutura turística no Porto de Paranaguá. Já em 2012, destinamos R$ 30 milhões e 500 mil, e em 2013 foram R$ 10 milhões.

JB – O que o litoral e Paranaguá podem esperar de Rosane?
Rosane Ferreira –Sou mulher, casada e mãe de dois filhos, profissional da área de saúde, com vinte anos de atuação em saúde pública, resido num município da região metropolitana, fui deputada estadual e agora federal e, por fim, pertenço ao Partido Verde. Ou seja, fui forjada pela vida conhecendo e convivendo com todos os problemas que enfrentam uma significativa parcela da nossa sociedade, e sei que as necessidades de quem vive no litoral não são muito diferentes. Levo todos estes olhares, sentimentos e percepções para dentro do governo.

Deixe um comentário