Secretaria de Estado da Saúde vai ajudar Samu e construir CEM

Prefeitos do litoral se reuniram com o secretário Michele Caputo, que anunciou ainda a viabilização de R$ 3 milhões para construção da sede do Cislipa. Apoio para Samu será feito pelo período de seis meses.

por Redação JB Litoral
24/09/2013 00:00 (Última atualização: 24/09/2013)

NULL

Os prefeitos Edison Kersten (Paranaguá), Edgar Rossi (Pontal do Paraná), Lílian Ramos (Guaraqueçaba) e João Domero (Antonina) participaram de reunião com o secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto, em Curitiba, na tarde de segunda-feira (dia 23), para discutir a situação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do litoral. Ficou definido que haverá apoio financeiro pelo período de seis meses, como custeio. 

Os recursos serão transferidos para os fundos de saúde dos municípios. O aporte deve ocorrer a partir de novembro e seguirá até abril. Entretanto, a Secretaria de Estado da Saúde fará outros investimentos no Consórcio Intermunicipal de Saúde do Litoral do Paraná (Cislipa), que administra o Samu. Serão liberados R$ 3 milhões para construção de um Centro de Especialidades Médicas. Os detalhes para tanto serão discutidos em breve. 

O prefeito Edison fez um histórico sobre a situação do Samu e lembrou que os problemas se arrastam desde o ano passado e que foram herdados pelos atuais administradores. As dificuldades financeiras e contábeis, além das dívidas atrasadas e irregularidades na contratação do pessoal, foram expostas. “A situação ficou caótica e ainda continua falha do ponto de vista administrativo. Precisamos de apoio para conseguir sair desse quadro”, salientou o representante parnanguara. 

Com a temporada de verão chegando, o número de pessoas circulando pelo litoral é multiplicado por mais de 10 vezes. Sensível a isso é que Caputo garantiu o apoio. “Há uma sobrecarga também para a estrutura do Estado. Queremos ajudar”, declarou o secretário de Saúde do Paraná, que ainda pediu aos prefeitos para repassarem em breve levantamento da dívida completa do Samu. Ele salientou ainda que é possível fazer outros investimentos, como uma unidade básica, em vigilância em saúde, ambulância e equipamentos. 

O prefeito Edison agradeceu ao secretário pelo Centro de Especialidades Médicas. “Temos inúmeras dificuldades e vamos trabalhar agora para melhorar o atendimento dos médicos especialistas, evitando assim que a população do litoral não tenha que ir a Curitiba para se consultar”, ressaltou. O prefeito Edgar Rossi, que preside o Cislipa, salientou que o atendimento das especialidades em Paranaguá e em outros municípios do litoral trará mais dignidade aos pacientes. “Eles não precisarão mais perder tempo com viagens longas e deixarão de correr risco na estrada rumo à capital”, comentou. 

MAIS INVESTIMENTOS

Os prefeitos do litoral sugeriram ao secretário de Estado de Saúde que sejam realizadas cirurgias eletivas (de pequeno porte) no hospital público de Guaraqueçaba. A estrutura está ociosa, lembrou a prefeita Lílian Ramos. A resposta de Caputo Neto foi ver a viabilidade do que é possível. 

O secretário aproveitou para divulgar aos prefeitos e representantes de outros municípios do litoral que está sendo construído um almoxarifado e que serão disponibilizados mais 25 leitos no Hospital Regional do Litoral. A maternidade antiga será reformada. 

No local onde funcionava o Hospital Infantil Antonio Fontes está sendo construído um hemonúcleo e recentemente foi aprovado pelo Ministério da Saúde o HospSUS fase 3, além de custeio. Será disponibilizado a partir de 2014 o valor de R$ 700 mil para construção de uma unidade básica de saúde, tipo 3, com doação de terreno pela Prefeitura de Paranaguá. Ou ainda, R$ 300 mil para ampliação de posto de saúde. 

Deixe um comentário