Teste de bafômetro começará a ser aplicado no Porto de Paranaguá

por Redação JB Litoral
28/11/2020 22:56 (Última atualização: 28/11/2020)

Trabalhador não poderá acessar a faixa portuária sem apresentar o resultado (Foto: Claudio Neves)

Na segunda-feira (30) começará a ser aplicado o novo protocolo de segurança para o acesso dos trabalhadores ao cais do Porto de Paranaguá. O teste do etilômetro, conhecido como bafômetro, será aplicado por sorteio aleatório realizado pelo sistema eletrônico.

“É uma quebra de paradigma. Somos um dos poucos portos públicos do país que está implementando esse sistema. Esperamos bons resultados”, comenta Felipe Zacharias, gerente de Saúde e Segurança (SESMET) do Trabalho da Portos do Paraná.

Segundo Zacharias, os trabalhadores estão apreensivos quando ao novo protocolo, porém não é preciso se preocupar. “O objetivo não é punir ninguém. Nosso principal objetivo é a segurança. É a gente impedir que o trabalhador que, por ventura, esteja sob efeito de álcool entre e exponha a segurança dos outros também em risco”, afirma.

Exame será aplicado aleatoriamente

As pessoas que acessarem a faixa, a partir de então, poderão ser sorteadas a passar pelo teste. Ao passarem pela catraca, o sistema aleatoriamente vai bloquear e avisa o trabalhador que ele deverá passar pelo bafômetro. Quando isso acontecer, o trabalhador deve procurar a equipe da Guarda Portuária que realizará o exame.

“Esse teste vem para resguardar o trabalhador, em todos os sentidos. Teve uma campanha de orientação e conscientização antecipada, fizemos o treinamento com os equipamentos sobre como manusear, qual a tolerância, quais os procedimentos a serem seguidos e a partir da semana que vem a Guarda está apta a aplicar esses teste”, afirma Thiago Matozo, agente de segurança e coordenador de coordenador de monitoramento da Unidade Administrativa de Segurança Portuária (UASP).

Todos os trabalhadores que acessam o cais poderão ser sorteados. Principalmente nos horários de troca de turnos. As pessoas que atuam na faixa portuária de Paranaguá acessam pelos torniquetes do edifício Dom Pedro II, prédio operacional da empresa Pública Portos do Paraná. Diariamente, passam quase dois mil trabalhadores próprios, portuários avulsos, terceirizados, funcionários das empresas operadoras e empresas que prestam serviço no cais.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Teste não é obrigatório

Matozo explica que durante o teste são possíveis três situações. A primeira seria a recusa, ou seja, o trabalhador não é obrigado a fazer o teste, mas ele não vai poder acessar a faixa portuária sem apresentar o resultado do exame.

Em caso de positivo, se o resultado for igual ou maior que o tolerado, que é de 0,3 miligramas de álcool por litro de ar alveolar, a empresa tem que responder pelo funcionário que poderá ter o cadastro de acesso bloqueado e ainda entrar em uma lista de atenção perante a autoridade portuária. Se der negativo, o funcionário é desbloqueado e pode acessar normalmente a faixa portuária.

Em princípio, o teste será apenas nos acessos de pedestres, pelos torniquetes. Ainda não teremos nas balanças dos gates, no acesso dos motoristas, mas esses também estarão condicionados à realização de blitz, na faixa portuária, onde poderão ter que passar pelo bafômetro”, comenta o agente de segurança.

Fonte: AEN

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments