Tradicionais feirinhas de artesanato começam a se instalar em Guaratuba

por Cleverson Teixeira
21/12/2020 16:00 (Última atualização: 4 semanas atrás)

As vendas acontecem de segunda a domingo, das 17h às 23h

Neste mês de dezembro, começaram a funcionar as tradicionais feirinhas de artesanato de Guaratuba. Com 40 anos sendo instaladas nos principais pontos da cidade, as barracas ficarão até o mês de março na região. Os veranistas que costumam frequentar as areias da praia vão poder, mais uma vez, contar com a venda de artesanatos, além de espaços gastronômicos.

Na Praça Central, localizada ao lado da Igreja de Nossa Senhora do Bom Sucesso, a comercialização dos produtos ocorre de segunda a domingo, das 17h às 23h. Ao todo, são 20 barracas espalhadas pelo local. Já a Feirinha do Largo do Doutor Bezede, próxima ao Morro do Cristo, funciona nos mesmos dias, das 8h às 18h. O espaço abriga 26 barracas, sendo 16 para a venda de artesanatos e 10 para alimentação.

Tradicionais feirinhas de artesanato começam a se instalar em Guaratuba 2
Peças são construídas com conchas recolhidas da areia

O vice-presidente da Associação Guaratuba de Artesãos (Águas) e coordenador da Feira do Bezede, Silvio Sinval de Souza, detalhou o que pode ser encontrado pelos moradores e turistas que pretendem visitar os locais. Sinval vende peças produzidas por ele e sua família. “Tem artesanato feito com conchas e caramujos, objetos com resinas e madeiras. Além disso, podem ser encontrados em outras barracas crochê, entalhe em madeira, trabalhos com retalho, brinco, colar e pulseiras com missangas, tecelagens, toalhas, panos de prato bordados e gastronomia”, relatou.

Tradicionais feirinhas de artesanato começam a se instalar em Guaratuba 3
Vice-presidente da associação trabalha há 23 anos nas feirinhas

Trabalhando desde 1997 na feira de Guaratuba, o vice-presidente da entidade disse que há, também, uma loja no Morro do Cristo administrada pela Associação do Artesãos. Nesse estabelecimento, que ficou fechado por um período devido à circulação da Covid-19, sete pessoas prestam serviços por meio de rodízio.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

“Em todas as temporadas, o movimento era bom. Este ano, por conta da pandemia, ainda não sabemos como será. Mas acredito que nos fins de semana e, também, por estar perto do Natal, talvez seja ótimo”, disse Silvio Sinval, quando questionado sobre a expectativa de vendas.

Aquisição das barracas

Sobre a aquisição dos espaços para trabalharem durante os três meses, o artesão, o qual também é profissional da construção civil fora da temporada, contou que existe um processo de cadastramento nos órgãos competentes da região litorânea. “Para conseguir o espaço, o artesão faz o cadastro na Secretaria de Cultura, depois na Associação dos Artesãos de Guaratuba“, concluiu.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments