TSE receberá consultoria sanitária de instituições de saúde nas Eleições 2020

por Redação JB Litoral
13/07/2020 17:03 (Última atualização: 13/07/2020)

TSE alerta que haverá um protocolo de segurança a ser adotado em todas as seções eleitorais do Brasil

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) firmou um acordo com a fundação Fiocruz e os hospitais Sírio Libanês e Albert Einstein para garantir consultoria sanitária à Justiça Eleitoral sobre os cuidados a serem adotados nas eleições municipais durante a pandemia do coronavírus, a Covid-19.

De acordo com a emenda constitucional promulgada pelo Congresso Nacional, o primeiro turno será no dia 15 de novembro para todas sete cidades do Litoral paranaense. O adiamento das eleições de outubro para novembro, foi defendido pelo TSE para atender as recomendações médicas e sanitárias por algumas semanas seria mais seguro para eleitores e mesários. 

O TSE alerta que haverá um protocolo de segurança a ser adotado em todas as seções eleitorais do Brasil com o objetivo de “proporcionar o mais alto grau de segurança possível para os eleitores, mesários e demais colaboradores da Justiça Eleitoral” diante do cenário de contágio da doença. 

O trabalho consistirá na avaliação de todos os riscos à saúde pública durante a votação, além do desenvolvimento e divulgação dos procedimentos e protocolos sanitários e ambientais que vão ser adotados.

Em ofício dirigido às três instituições de saúde, o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, agradeceu a ajuda “patriótica”, prestada “graciosamente”, sem custos aos cofres públicos.

Nesta semana, o ministro e os técnicos do TSE se reunirão com três infectologistas para início dos trabalhos do grupo: David Uip, pelo Sírio Libanês, Marília Santini, pela Fiocruz, e Luís Fernando Aranha, pelo Albert Einstein.

Com informações da assessoria de comunicação do TSE