Um dos sindicatos mais antigos do país, Sindestiva, comemora 117 anos de lutas e conquistas

por Luiza Rampelotti
13/09/2020 18:15 (Última atualização: 15/09/2020)

Os estivadores são a classe de TPA’s mais antiga de Paranaguá e já existia antes mesmo do Porto Dom Pedro II. Foto: Claudio Neves/Portos do Paraná

O Sindicato dos Estivadores de Paranaguá e Pontal do Paraná (Sindestiva) comemora, neste domingo (13), 117 anos de organização da categoria no Paraná. Fundado em 1903, o sindicato foi um dos primeiros do país, e os estivadores são a classe de Trabalhador Portuário Avulso (TPA) mais antiga de Paranaguá.

Ao longo de mais de um século, foram várias as transformações que precisaram acontecer para que o Sindestiva chegasse aonde chegou: 1.153 associados registrados e trabalhando na faixa portuária do porto Dom Pedro II. No início, o nome era Associação dos Trabalhadores, depois somente Sindicato dos Estivadores de Paranaguá e, mais para frente, ampliou sua base territorial, incorporando o município de Pontal do Paraná, diante do projeto de construção de um novo porto na cidade e, com isso, buscando estender o mercado de trabalho do sindicato.

O presidente em exercício, Everson Leite de Farias, conta como a história desses 117 anos de lutas e conquistas começou. “Os serviços se iniciaram antes mesmo do Porto Dom Pedro II, no antigo atracadouro da Rua da Praia, na Praça do Guincho. Quando os navios chegavam ali, o comandante atracava a embarcação e chamava o capataz, que tinha uma equipe para realizar os serviços de carga ou descarga a bordo do navio. Esse trabalho era feito por empreitada”.

Com o passar dos anos, os estivadores começaram a se organizar e, em meados de 1940 a então Associação dos Trabalhadores se tornou sindicato. “Ao longo dos anos foram muitas lutas. A peculiaridade dos serviços era muito diferente, vivemos muitos momentos, vários ciclos. No início, não havia nenhuma automação, então o trabalho era braçal, na sacaria. Em 1990, com a chegada da tecnologia e equipamentos, tudo começou a ficar mais automático, e foram chegando os navios com maior porte”, relembra Everson.

Um dos sindicatos mais antigos do país, Sindestiva, comemora 117 anos de lutas e conquistas 1
Presidente em exercício, Everson de Farias, esteve no JB Litoral para falar sobre as conquistas obtidas pelo Sindicato dos Estivadores. Foto: Claudio Neves/Portos do Paraná

Acompanhando o crescimento do porto

Com a automação dos serviços, muitos recordes passaram a ser atingidos. Por exemplo, em 1970, o porto de Paranaguá movimentava 6 milhões de toneladas por ano; já em 2019, foram 43 milhões de toneladas, comenta o presidente. “Isso reflete o crescimento portuário e, dessa forma, a Estiva também precisou se aprimorar e seguir os mesmos passos”, diz.

O processo de aperfeiçoamento empreendido pelo Sindestiva gerou bons frutos: os estivadores auxiliam na quebra de recordes portuários, graças à eficiência e à qualidade de mão de obra, garante Everson. “Tudo isso é resultado da parceria entre os trabalhadores, operadores portuários e a diretoria do sindicato, quando vamos para a mesa de negociação procurar o melhor caminho para que o trabalho seja cada vez mais eficiente”, comenta.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Na diretoria do Sindestiva desde janeiro de 2015, quando a chapa à qual fez parte assumiu a entidade, ele já se reelegeu para outro mandato, em 2017, que finaliza agora em dezembro. Porém, o objetivo é continuar à frente do sindicato pelos próximos três anos.

“Quando assumimos, encontramos vários problemas financeiros, acordos e convenções vencidas, o que acarretou em uma defasagem do salário do estivador. Logo começamos a trabalhar nessa questão e melhorar o ganho para o trabalhador. No final de 2015, fechamos a primeira convenção do nosso mandato, tivemos ganhos, em certas fainas, de 80% até 200%, então conseguimos recuperar a perca que tivemos ao longo dos anos”, explica Everson.

Melhorias resgataram a autoestima do estivador

O atual presidente em exercício destaca que esse aumento salarial resgatou a autoestima do trabalhador, que se sentia esquecido, e trouxe dignidade para os estivadores que, a partir de então, puderam passar a oferecer um melhor conforto para a sua família.

Porém, outras conquistas foram alcançadas. “A luta é constante. Durante os dois mandatos, procuramos trabalhar sempre fazendo o melhor para a categoria. Mostramos isso na prática, com o avanço do ganho do trabalhador e do montante de mão de obra (MMO), com a revitalização das clínicas, a troca da frota do sindicato, a inclusão das ações sociais. Resgatamos a autoestima do estivador e creio que estamos no rumo certo”, afirma.

Veja o vídeo do deputado federal Felipe Francischini com Everson Farias sobre a Medida Provisória n° 945 e sobre os 117 anos do sindicato. Acompanhe:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments