Vereadora critica Helder e afirma que prefeito faz gestão do “faz de conta”

“Os munícipes não devem, não merecem e nem podem viver este faz de conta, espero que esta Casa não faça parte deste faz de conta do Poder Executivo”

por Redação JB Litoral
10/09/2014 22:50 (Última atualização: 10/09/2014)

NULL

Em sessão legislativa realizada no dia 13 de agosto na Câmara de Morretes, a vereadora Flávia Rebello Miranda (PT) criticou abertamente a gestão do prefeito Helder Teófilo dos Santos (PSDB). O discurso escancara o atrito PT X PSDB, característico na esfera estadual e federal, agora também presente na esfera municipal morretense. Em discurso forte, a vereadora chamou a gestão Helder de “cidade de faz de conta”, pedindo que a Câmara tenha atuação firme em prol dos munícipes. 

Relembrando discurso feito em 2013, onde relatou que na época a cidade já era de “faz de conta”, a vereadora Flávia afirmou que “neste ano de 2014 ainda continua todo esse faz de conta, pois existem diversas áreas que se divulga aos quatro cantos que há um pleno funcionamento quando na verdade não há, como, por exemplo: maternidade de faz de conta; obstetrícia faz de conta; telefones ineficientes na escolas, outro faz de conta; aparelhos de ar condicionado instalados de faz de conta; semáforo, esse alvo da CPI, também de faz de conta; Fundação de Saúde, com gastos em torno de R$ 80.000,00 já pagos, de faz de conta”, criticou firmemente a vereadora, comparando o termo “faz de conta” com a ausência de ação por parte da Prefeitura.

“Nada está sendo feito nesta Casa para que se mude isso e que o município de Morretes, nos dias de hoje, faz lembrar uma novela que acabou recentemente, novela essa com o título de “Pedacinho de Chão” (Rede Globo), pois em sua história tinha vaca de faz de conta, galo de faz de conta, cavalo de faz de conta”, acrescentou a legisladora, criticando não só o Executivo como também a Câmara Municipal. “Diante do que foi dito, os munícipes não devem, não merecem e nem podem viver este faz de conta, espero que esta Casa não faça parte deste faz de conta do Poder Executivo”, criticou a vereadora Flávia, pedindo uma independência da Câmara.

“Esta Casa tem que entender as necessidades dos munícipes para que estas situações não acabem em novela ou em fantasia, pois os cidadãos necessitam dos serviços públicos, e por diversas vezes até pagam muito caro por estes serviços prestados”, finaliza a vereadora do PT.

Deixe um comentário